PROJETO QUATRO POR 4

Projeto Quatro por Quatro: Simplesmente Acontece – Cecelia Ahern

Olá, boa noite leitores!

A resenha de hoje envolve o livro “Simplesmente Acontece”, da Cecelia Ahern.

Editora: Novo Conceitosimplesmente

Páginas: 448

Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos.

Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails, mensagens de texto, cartas, cartões-postais… Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.

Bia Constante – Books and Birds

Bom3

A amizade de Rosie e Alex é forte e deste sentimento há um ainda mais que se manifesta a cada novo ano, mesmo com a distância. Os amigos, familiares e pessoas ao redor sabem que eles devem ficar juntos, contudo, falta apenas eles próprios perceberem isso! Diante de acontecimentos inesperados, casamentos, filhos, cartas perdidas e e-mails, caberá apenas ao casal de amigos decidir se vale ou não a pena arriscar a amizade por este novo sentimento.

Que livro foi esse???!!! Eu gostei e não gostei ao mesmo tempo, calma, vou explicar, haha! A escrita da autora é muito envolvente, adorei o fato da história englobar além do drama, um belo romance e pitadas de humor, contudo, não posso deixar de mencionar que a todo momento o leitor fica com aquela grande expectativa acerca do clímax e o mesmo somente ocorre nas últimas páginas! Sim, eu fiquei impaciente, inconformada e decepcionada com este fato, pois os personagens não demoraram apenas alguns anos para enfim tomarem uma atitude, mas sim décadas! 😲😲😲

Adoraria ler uma continuação que abordasse mais sobre o futuro de Rosie, Alex e seus respectivos filhos.

 

Camila Melo – A Bookaholic Girl

Bom1

Simplesmente acontece foi uma leitura que não me surpreendeu muito pelo fato de eu já ter visto o filme, e ter as imagens de Lily Collins e Sam Clafin em mente. Fui me deliciando e me irritando a cada página. Confesso que no começo foi um pouco estranho me habituar a uma história sendo contada por cartas, bilhetes, e-mails etc, mas depois que se acostuma a leitura flui, embora as mais de 400 páginas. O desenvolvimento do livro sem uma datação marcada sendo interessante por um lado, também foi um pouco difícil por outro para situar no tempo os acontecimentos. Ainda assim a autora consegue manter a atenção e criar vários momentos emocionantes e engraçados, indo mais além que o filme (como de costume). E talvez seja por isso que eu fiquei tão intrigada com o final, eu terminei a leitura e fiquei pensando: “Como assim???”, não que não tenha sido um final plausível, mas chega a ser muito intrigante, na verdade até mesmo irritante. Outra consideração que merece atenção é à tradução não literal a “Where rainbows end” que não faz sentido nenhum. Apesar disso, como leitora amante das obras de Cecelia Ahern recomendo a história de Rosie e Alex para que vocês tenham tirem suas próprias conclusões 😉

 

Flávia Tanabe – Coelho da Lua

Especial1

Olha, tenho que dizer que Rosie e Alex tem o pior timming do mundo! Quem já assistiu ao filme? Eu já, umas cinco vezes, e a angústia por esse timming ruim é sempre a mesma.

Esse livro conta a história de Rosie e Alex, que se conhecem desde os cinco anos, e desde então são melhores amigos um do outro. A conexão é gigante, o significado de amizade entre eles transcende, mesmo que em determinados momentos estivessem brigados ou um pouco distantes.

A narrativa é toda através de cartas, mensagens e e-mails que apesar de ficar maçante em diálogos mais longos, permite que os demais personagens exponham seus pontos de vista e a interação entre eles, como Alex e seu irmão Phil, por exemplo.

Apesar das surpresas que a vida reservou para Rosie e Alex, nesse livro só tem amor. Amor de amigo, amor romântico, amor de família. Em todos os momentos, transborda. Cada personagem é intenso, marcante e importante nessa história.

Para Rosie e Alex era tudo tão simples e ao mesmo tempo tão complicado. A amizade um pelo outro se encaixava perfeitamente, mas os sentimentos que surgiram (que na verdade estavam lá desde sempre) demoram para serem percebidos.

Se você gosta de romance e reviravoltas, Rosie e Alex são para você. O destino não gosta apenas de se divertir, ele ainda tira sarro! Em muitos momentos pensei: agora vai! Só que não.

 

Geovana Rodrigues – Inícios Marcantes

Bom3

“Que timming horrível!” Foi o que eu pensei (ou gritei?) assim que finalizei a leitura, não consegui evitar! hihi Mas apesar da minha revolta ao longo da narrativa, amei o livro! O modo como a autora vai nos apresentando a história, através de cartas e e-mails deu um tom super diferente e divertido ao livro. A evolução da escrita dos personagens (de acordo com que iam crescendo) foi um marcador de tempo interessante, e me deixava sempre empolgada para ler cada vez mais. Fiquei com medo da história não me agradar, pois, estava com as expectativas lá no alto, mas no fim amei cada pedacinho.

“Você merece alguém que a ame a cada batida de seu coração, alguém que pense a seu respeito a cada instante, alguém que passe cada minuto do dia apenas se perguntando o que você está fazendo, onde está, com quem está e se está bem.”

 

A próxima leitura será:garota

Garota Exemplar – Gillian Flynn

Editora: Intrínseca

Páginas: 448

Em Garota exemplar, a narrativa não linear de Gillian Flynn se alterna entre duas perspectivas opostas e conflitantes, construindo uma atmosfera dúbia, capaz de fazer o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Com um humor perspicaz, o thriller expõe as consequências psicológicas da deterioração de um relacionamento íntimo. Se para muitos o problema está em acordar e perceber que não se conhece muito bem a pessoa com quem se divide a cama, Flynn alerta: o inferno pode ser conhecê-la bem demais.

Na manhã do quinto aniversário de casamento, Amy desaparece da nova casa, às margens do Rio Mississippi. Tudo indica se tratar de um sequestro, e Nick imediatamente chama a polícia, mas logo as suspeitas recaem sobre ele. Exibindo uma estranha calma e contando uma história bem diferente da relatada por Amy em seu diário, ele parece cada dia mais culpado, embora continue a alegar inocência. À medida que as revelações sobre o caso se desenrolam, porém, fica claro que a verdade não é o forte do casal.

O que acharam das resenhas? Já leram o título? Se sim, o que acharam da história? Me contem nos comentários!

Boa leitura, beijos! ♥

 

RESENHAS

Indicação Amazon: Love & Gelato – Jenna Evans Welch

Olá, boa noite leitores!

Yay! Finalmente consegui ler um livro em inglês e compreender grande parte do enredo sem me tornar escrava do dicionário/tradutor. Estou tão contente, me sinto muito realizada por ter completado uma meta que há tempos venho almejando.

Páginas: 400413-A4dbSeL._SX329_BO1,204,203,200_

Sinopse: 

Um verão na Itália, uma antiga história de amor e um segredo de família

Depois da morte da mãe, Lina fica com a missão de realizar um último pedido: ir até a Itália para conhecer o pai. Do dia para a noite, ela se vê na famosa paisagem da Toscana, morando em uma casa localizada no mesmo terreno de um cemitério memorial de soldados americanos da Segunda Guerra Mundial, com um homem que nunca tinha ouvido falar. Apesar das belezas arquitetônicas, da história da cidade e das comidas maravilhosas, o que Lina mais quer é ir embora correndo dali.

Mas as coisas começam a mudar quando ela recebe um antigo diário da mãe. Nele, a menina embarca em uma misteriosa história de amor, que pode explicar suas próprias origens. No meio desse turbilhão de emoções, Lina ainda conhece Ren e Thomas, dois meninos lindos que vão mexer ainda mais com seu coração.

Uma trajetória que fará Lina descobrir o amor, a si mesma e também aprender a lidar com a perda. Amor & Gelato é uma deliciosa viagem pelos mais românticos pontos turísticos italianos, com direito a tudo de mais intenso que o lugar tem a oferecer: desde paixões até corações partidos.

Carolina, ou Lina, como prefere ser chamada, perdeu a mãe há pouco tempo e por indicação da mesma e de sua avó, a jovem resolve passar um tempo na Itália com Howard. Ela não se sente tão confortável, pois a mãe apesar de lhe contar que Howard foi um grande amigo no tempo em que morou na Itália, ela não o conhece direito.

Ao chegar no destino, ela descobre que o tal amigo da mãe mora na verdade em um cemitério, ou quase isso, a casa fica no mesmo terreno que um cemitério memorial dos soldados da Segunda Guerra Mundial. É claro que a jovem se assusta um pouco e não possui uma boa primeira impressão e isso unido ao desconforto que sente ao estar na casa de um “estranho” não vê a hora de ir embora.

Lina adora correr e é quando está se exercitando próximo a casa em que está hospedada que conhece Lorenzo, ou como prefere ser chamado, Ren. A partir deste encontro uma amizade começa a se desenvolver e ela não somente conhece o jovem, como posteriormente é apresentada a novas pessoas, dentre elas, Thomas, um rapaz charmoso que já no primeiro encontro lhe atrai muito.

Lina apesar de gostar dos momentos passados junto com os novos amigos, ainda quer ir embora e somente quando Sonia, a superintendente-assistente do cemitério que trabalha junto com Howard, lhe entrega um antigo caderno de recordações de sua mãe, é que ela começa a compreender melhor tudo que aconteceu no passado da mesma, desde os momentos bons até os críticos.

Entre gelatos, pontos turísticos belíssimos, encontros impactantes, mistérios, novas amizades e experiências, Lina não somente desvendará o mistério acerca do passado de seus pais, como também descobrirá um novo sentimento.

Que livro mais amorzinho, eu amei o enredo, personagens e ambientes. Pude compreender cerca de 90% da história e me apaixonei pelos cenários descritos, foi uma “viagem” maravilhosa! Além de ter amado o italiano, que idioma envolvente, hihi.

A divisão feita pela autora, ora momento presente com Lina, ora passado com o caderno de recordações da mãe da mesma, aproxima o leitor da história. Eu me senti muito envolvida e a cada nova revelação, a curiosidade só aumentava, tanto que nem senti a leitura passar, finalizei em poucos dias.

Um enredo repleto de romance, amor, amizade, drama e pitadas de humor, hihi!

Não posso deixar de mencionar a respeito da arte de capa desta edição, que graça! Bela combinação de cores, a vontade de se deliciar com um gelato só aumenta ao visualizar a ilustração, haha, aliás, fiquem de olho no meu Instagram amanhã, porque terá foto especial! 😉

Eu tive a oportunidade de ler este livro, pois baixei gratuitamente pela Amazon há um tempo atrás, até cheguei a divulgar em minhas redes sociais (se ainda não me segue, não deixe de seguir! ). E apesar do mesmo não estar mais gratuito, o valor do e-book não é caro (hoje, dia 02 de setembro, está por apenas R$3,40). Para comprar, basta clicar aqui. Agora para os leitores que não se sentem tão à vontade para ler em inglês, uma ótima notícia: a Intrínseca lançou recentemente este título. Para comprar a edição em português, basta clicar aqui.

Boa leitura, beijos! ♥

PROJETO QUATRO POR 4 · RESENHAS

Projeto Quatro por 4: A Química que há entre Nós – Krystal Sutherland

Oii, boa noite leitores!

A resenha deste mês envolve o livro “A Química que há entre Nós”, da Krystal Sutherland. A indicação do mesmo foi da Flávia, do Coelho da Lua.

Editora: Globo Altaquimicaqueha

Páginas: 272

Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.

Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.

Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.

Bia Constante – Books and Birds

Especial1

Iniciei a leitura sem tanto entusiasmo e conforme fui avançando, as surpresas começaram a aparecer. A cada novo capítulo, uma emoção e revelação diferente.

O livro não é previsível e muito menos trata-se de um romance, pelo contrário, ele nos fala de perdas e em como é difícil administrá-las. A autora consegue abordar um assunto pesado de modo cauteloso e com aquela pitada de humor inteligente. Não posso deixar de mencionar o quanto adorei os personagens secundários, eles foram fundamentais para o enriquecimento do enredo.

Camila Melo – A Bookaholic Girl

Curinga4

“Sempre pensei que o momento em que você conhece o grande amor da sua vida fosse mais parecido com os filmes. Não idêntico a momentos cinematográficos, é óbvio, com câmera lenta, cabelo esvoaçando na brisa e uma trilha sonora instrumental bombástica. Mas eu imaginava que ao menos haveria algo, sabe? O coração saindo pela boca. Um puxão na alma onde algo de dentro diz: “Puta merda. Lá está ela. Até que enfim, depois de todo esse tempo, lá está ela.” (Pág. 7)

A partir desse primeiro parágrafo de A Química que há entre nós fui conquistada! Essa foi uma leitura maravilhosa! Apesar de ser um livro do gênero Young Adult cheio de clichês, eu adorei. A escrita da autora é atraente e muito envolvente, com capítulos curtos, várias referências da cultura pop e mistura de cenas extremamente tristes e hilárias. Um dos pontos que mais gostei foi a representatividade de personagens que fogem dos padrões de adolescentes no ensino médio no estilo corpo perfeito. Henry e Grace são tudo aquilo que não estamos acostumados a ver, bem como os personagens secundários. A partir do ponto de vista de Henry somos lançados aos mistérios que envolvem Grace, no seu passado obscuro. Os temas apresentados, são muito pertinentes e desenvolvidos com muito tato. Me fizeram refletir e chorar: o primeiro amor, perdas, relacionamento familiar, a preocupação com o futuro, faculdade e muitas inseguranças. Era o tipo de leitura que estava precisando no momento e super indico. Se tornou um dos meus livros favoritos do ano.

Carla Lopes – Coelho da Lua

Especial1

Uma história​ encantadora, sem dúvida. Porém, confesso que não me agradou logo de cara. O enredo demorou um pouco a me prender, talvez pelo drama adolescente bem clichê.
Mas, felizmente, foi muito além disso, e acompanhar os sentimentos de Henry desabrochar, assim como seu amadurecimento, foi simplesmente magnífico.
Os ((as) não lembro) personagens secundários também deixaram sua marca; os diálogos irreverentes e características únicas tornaram a leitura muito fácil. Depois de pegar o ritmo, vale muito a pena.
Entrou para a lista dos queridinhos, com certeza!

Geovana Rodrigues – Inícios Marcantes

Especial1

“Grace Town é uma charada embrulhada em um mistério dentro de um enigma” – e foi exatamente assim que me senti enquanto lia A Química Que Há Entre Nós. Narrado em primeira pessoa, acompanhamos toda a história pelo ponto de vista de Henry, um garoto que está na disputa pela vaga no jornal do colégio. E então, quando Henry menos espera, conhece o amor da sua vida. Mas não é bem como ele imaginava que seria. Conhecemos a Grace, uma garota cheia de mistérios. Quem é ela? Por que se veste e age assim? Esse livro não é bem uma história de amor, é como se Grace fosse uma droga que vicia Henry. Ele sabe o quão quebrada ela está, mas mesmo assim, se apaixona por ela. Mesmo sabendo que tinha tudo para dar errado, ele se joga de cabeça. Não tem medo de sofrer, só quer amá-la e a ajudar ela como puder. Fiquei com dó dele, porque só era correspondido dependendo do “momento” de Grace, mas ao mesmo tempo ele não conseguia ficar com raiva dela por causa disso, só queria puxar ela de dentro das páginas para dar um abraço bem forte. Não podemos esquecer Murray e Lola! Aqui os personagens secundários não são só pra encher cenário ❤ Os pais de Henry também são um amorzinho ❤ deu vontade de conhecer. O livro é recheado de referências Geeks e diálogos sensacionais (acho que nunca marquei tanto quote na vida hihi). É uma leitura rápida, os capítulos são curtinhos e a história te prende que você nem vê o tempo passar. Super indico!

A próxima leitura será:

Todo Dia – David Levithantododia

Páginas: 280

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

O que acharam das resenhas? Já leram o título? Se sim, o que acharam da história? Me contem nos comentários!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

O Sol Também é uma Estrela – Nicola Yoon

Oii, boa tarde leitores!

A resenha de hoje envolve o livro  “O Sol Também é uma Estrela”, da Nicola Yoon.

osol2

Natasha não acredita em destino, sorte e acha que sentimentos como o amor, são meras reações do corpo. Prefere a boa e velha ciência, tanto que pensa em ser Cientista de Dados. Mora em um pequeno apartamento em Nova York com os pais e o irmão mais novo. Ela nasceu na Jamaica e se mudou ainda muito nova, pois a mãe não aguentava mais a situação de se manter afastada do marido. Contudo, a promessa que ele tinha feito a família seria de que passaria pouco tempo em Nova York para se ajeitar e arrumar um emprego fixo como ator, tinha até como meta estrelar em peças da Broadway, porém, nada disso acontece e por isso atualmente vivem de modo simples em um apartamento de apenas um quarto, onde os filhos precisam dormir na sala. Além disso, quem trabalha em mais de um turno e mantém as contas pagas é a esposa.

Se não bastasse a difícil situação, o pai de Natasha se embriaga, bate o carro e acaba contando aos policiais toda sua história, inclusive que está nos Eua de forma ilegal. O resultado desta confissão é a deportação da família toda rumo à Jamaica.

A jovem acha injusto ter que voltar a seu país de origem tão repentinamente e logo no último ano, foi difícil para a mesma se encaixar na atual cidade e agora que se sente bem, possuindo apenas 12 horas na cidade, decide correr atrás de uma maneira para adiar e/ou até mesmo cancelar a deportação. Durante o caminho, acaba esbarrando em Daniel e tudo que ela fazia questão de afirmar, começa a se alterar…

Daniel é um jovem apaixonado por poesia que devido a influência da família terá que ser médico. Seus pais são super tradicionais e pensam que este é o melhor caminho para o filho, não querem que ele passe dificuldades assim como eles passaram. O jovem possui um irmão mais velho que depois de ter se metido em encrenca e ter sido expulso da faculdade, acaba se tornando a ovelha negra na família, o que acarreta em tornar seu irmão mais novo o centro das atenções e orgulhos.

Daniel apesar de não querer seguir na profissão de médico, sabe que o fará pela família e justamente no dia da tão importante entrevista com um ex-aluno de Yale, ele acaba conhecendo Natasha. O encontro acontece de uma maneira tão bizarra, que o faz refletir sobre a vida, destino e coincidências.

Em meio a uma entrevista, um quase corte de cabelo, um fone rosa quebrado e uma corrida contra o tempo, os jovens perceberão que a vida às vezes esconde surpresas.

osol

“Nomes são coisas poderosas. Servem como marcadores de identidade e uma espécie de mapa, localizando a pessoa no tempo e na geografia. Mais do que isso, podem ser uma bússola.”

♥ 

“– O senhor tem alguma ideia de como é não se encaixar em lugar
nenhum? – De novo falo baixo demais para ser ouvida, e de novo ele
escuta.”

“Às vezes, quando você procura uma palavra no dicionário, vê algumas
definições indicadas como obsoletas. Natasha pensa nisso com frequência,
em como a língua pode ser escorregadia. Uma palavra pode começar
significando uma coisa e acabar significando outra.”

“Quero dizer a ele que talvez não devesse deixar tudo por conta de
Deus, e que esperar mesmo sem esperança não é uma estratégia de vida.
Mas isso significaria falar com ele, o que não desejo fazer.
As pessoas repetem essas coisas para que o mundo faça sentido.
Secretamente, no fundo do coração, quase todo mundo acredita que existe
algum sentido, alguma objetividade na vida. Justiça. Coisas boas acontecem
com pessoas boas. Coisas ruins acontecem com pessoas ruins.
Ninguém quer acreditar que a vida é aleatória. Meu pai diz que não
sabe de onde vem meu ceticismo; mas não sou cética. Sou realista. É
melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas
não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem.”

“OS SERES HUMANOS não são criaturas razoáveis. Em vez de
governados pela lógica, somos governados pelas emoções. O mundo seria
um lugar mais feliz se o oposto fosse verdade.”

“As pessoas passam a vida inteira procurando o amor. Mas como a gente vai confiar numa coisa que pode acabar tão subitamente quanto começa?”

“Para começo de conversa, não gosto de coisas temporárias, sem provas concretas, e o amor romântico é temporário e não é passível de prova.
A outra coisa secreta que não conto a ninguém é o seguinte: não tenho
certeza se sou capaz de amar. Nem temporariamente.”

“O problema de se apaixonar, de cair de quatro, é que a
gente não tem o controle da queda.”

 ♥

“É tudo um pouco demais. Estou me sentindo fora de controle.
– Por que isso é tão ruim?
– Gosto de ver as coisas chegando. Gosto de planejar com
antecedência.
E eu entendo. Entendo mesmo. Somos programados para planejar com
antecedência. Isso faz parte do nosso ritmo. O sol nasce todo dia e cede
espaço para a lua toda noite.
– Mas, como disse o segurança, planejar nem sempre funciona – falo.”

osol3

Sabe aquele livro repleto de trechos que te marcam e te fazem se identificar com as situações expostas? Pois bem, esse foi um exemplo, eu me flagrei selecionando quotes e mais quotes, desculpem pela quantidade que selecionei, não consegue deixar de mencioná-los por aqui, haha.

Eu mais uma vez fui cativada pela escrita da Nicola, além da construção dos personagens e do ambiente serem incríveis, a mesma consegue descrever inúmeras situações e sentimentos que transcorrem durante apenas um dia. Adorei o fato dos capítulos serem alternados entre todos os personagens envolvidos na narrativa e não digo apenas de Daniel e Natasha, como também os demais, desde os pais de ambos, até a funcionária do aeroporto, advogado e outros. Foi fantástico conhecer um pouco mais de cada personagem, me senti muito próxima da história.

A autora com esta história faz o leitor pensar se o que está vivendo é a união de meros fatos aleatórios ou se há algo a mais, talvez uma vida já pré-destinada. Além do romance, o livro aborda sobre assuntos que devem ser discutidos como a imigração ilegal e o racismo. Eu adorei o livro e mal posso esperar pelo lançamento de mais algum, por favor Nicola, não nos deixe órfãos por muito tempo, hihi

Se eu gostei? Sim. Recomendo? Com toda certeza, sem dúvida, claro!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

O Acordo – Elle Kennedy (Série Amores Improváveis #1)

Oii, boa tarde leitores!oacordo

Recentemente adquiri gratuitamente na Amazon, o livro digital “O Acordo”, da autora Ellen Kennedy. O mesmo é o primeiro da série Amores Improváveis.

Ela passou por uma situação traumatizante quando tinha apenas 15 anos e apesar dos anos de terapia terem lhe ajudado, ainda se sente insegura e receosa perante as pessoas.

Ele sofreu ameaças e se sentiu impotente até a morte de sua mãe, quando percebeu que poderia contornar a situação em que se encontrava. Apesar de ter se livrado do caos, a raiva, angústia e tristeza ainda permanecem e são lembranças recorrentes a cada jogo.

Hannah estuda música, trabalha em uma lanchonete e se esforça muito para conseguir conquistar a tão sonhada bolsa. Porém, sabe que não será tão simples, já que seu parceiro musical faz de tudo para lhe prejudicar e se não bastasse esse infortúnio, ela ainda se vê diante de um grande desafio: ajudar um bad boy do hóquei nos estudos.

Garret é o capitão do time hóquei e pensa que para conseguir se manter forte, não pode se relacionar seriamente com nenhuma mulher, considera o namoro uma distração e devido a isto, apenas se diverte jogando seu charme e seduzindo. Tudo vai bem em sua vida, até receber a nota de Ética Filosófica e perceber que se não melhorar o desempenho, poderá ficar de fora dos jogos. Apreensivo, recorre a uma jovem que gabaritou na prova, ele não se lembra ao certo de seu nome, só sabe que precisa muito de sua ajuda.

Depois de muito insistir e praticamente implorar, ele finalmente consegue convencer a jovem, jovem esta chamada Hannah, a lhe ajudar. Porém, não se trata apenas de um ato bondoso, eles fecham um acordo: ela lhe ajuda nos estudos e ele em troca, lhe ajuda a atrair a atenção de Justin, um rapaz, pelo qual ela tem interesse.

As aulas começam e juntamente, um sentimento.

Será que Hannah conseguirá resistir ao charme do jogador? E Garret, será que um rapaz que não acredita em relacionamentos, conseguirá se manter focado somente nos estudos?

Duas pessoas completamente diferentes, ela, uma jovem estudiosa e apaixonada por música; ele, um rapaz apaixonado por hóquei, mulheres e bebidas. O que possuem em comum?

Se sentem “quebrados” e poderão acabar encontrando sem querer, uma forma de consertar velhos machucados.

 

  “Um cavalheiro se ofereceria para dormir no chão, sabe?”
“Pareço um cavalheiro para você?”
Ela ri disso. “Não.” Há um momento de silêncio. “Certo, vou ficar aqui.Mas só porque mal consigo manter os olhos abertos, e realmente não quero ter que esperar por um táxi.”

Às vezes, as pessoas entram na
sua vida e, de repente, você não sabe como foi capaz de viver sem
elas antes. E já não consegue entender como vivia a vida, saía com
os amigos e dormia com outras pessoas sem ter essa pessoa
importante na sua vida.

Agora ele parece apenas resignado. “E as pessoas sabem quando
vão se apaixonar por alguém? Acho que é algo que simplesmente
acontece.”
“É, acho que sim. Ele… me pegou de surpresa.”

Comecei a leitura achando que encontraria um romance hot bem clichê e de certa forma foi o que encontrei, porém, seria injusto não mencionar que junto ao desfecho esperado, encontrei situações e momentos intensos, assuntos que muitas vezes são deixados de lado e que devem ser discutidos, como o estupro e a violência doméstica.

Me apaixonei pelos personagens e estou louca para ler os demais livros da série, hihi

Se eu gostei? Sim. Recomendo? Com certeza! É um romance cativante que lhe fará pensar acerca de assuntos fortes.

Boa leitura, beijos! ♥

PROJETO QUATRO POR 4

Projeto Quatro por 4: O Caminho para Casa – Kristin Hannah

Oii, bom dia leitores!

O livro escolhido deste mês foi “O caminho para casa”, da autora Kristin Hannah. A indicação foi minha, comprei o livro durante a pré-venda por um preço extremamente baixo e desde então estava curiosa para conhecer a história. Depois de muitas resenhas e comentários positivos, comecei a leitura animada e um pouquinho receosa, pois sabia que encontraria drama e tragédia.

Editora: ArqueiroOcaminhoparacasa_CapaWEB

Páginas: 351

Durante 18 anos, Jude pôs as necessidades dos filhos em primeiro lugar, e o resultado disso é que seus gêmeos, Mia e Zach, são adolescentes felizes. Quando Lexi começa a estudar no mesmo colégio que eles, ninguém em Pine Island é mais receptivo que Jude.
Lexi, uma menina com um passado de sofrimento, criada em lares adotivos temporários, rapidamente se torna a melhor amiga de Mia. E, quando Zach se apaixona por ela, os três se tornam companheiros inseparáveis.
Jude sempre fez o possível para que os filhos não se metessem em encrenca, mas o último ano do ensino médio, com suas festas e descobertas, é uma verdadeira provação. Toda vez que Mia e Zach saem de casa, ela não consegue deixar de se preocupar.
Em uma noite de verão, seus piores pesadelos se concretizam. Uma decisão muda seus destinos, e cada um deles terá que enfrentar as consequências – e encontrar um jeito de esquecer ou a coragem para perdoar.
O caminho para casa aborda questões profundas sobre maternidade, identidade, amor e perdão. Comovente, transmite com perfeição e delicadeza tanto a dor da perda quanto o poder da esperança.

Bia Constante – Books and Birds

Especial1

Uma história surpreendente, marcante e intensa!

Lexi desde nova conheceu o sofrimento de perto. Devido ao vício da mãe em drogas, passou por inúmeros lares adotivos e quando começava a se acostumar com a nova família, sua mãe chegava e recuperava sua guarda. A situação somente se alterou quando ela perdeu a mãe e foi morar com a tia avó Eva, uma senhora simples, de poucas palavras, mas com um grande coração. Receosa por começar em um novo local e escola, ela se surpreende ao conhecer Mia, uma jovem sem preconceitos e muito doce. Com a nova amizade, conhece Zach, irmão gêmeo de Mia, por quem se apaixona desde o primeiro instante. Lexi é acolhida não somente pelos gêmeos, como também pela família toda. Jude é a típica mãe coruja que acompanha a vida dos filhos de perto e tenta sempre ser mais amiga do que mãe. Miles é um pai tranquilo que apoia a juventude sem tanta pressão e acaba deixando para Jude as broncas. Mia, Zach e Lexi se tornam tão inseparáveis que após uma tragédia, não somente a amizade de ambos se altera, como a vida de todos na cidade.

Tive que parar várias vezes durante a leitura para respirar fundo, a história é repleta de altos e baixos, a cada novo capítulo uma emoção diferente. Um romance que mostra a importância e força que a amizade, maternidade, amor e acima de tudo que o perdão possuem.

Se eu gostei? Sim! Indico? Com certeza! A escrita da autora é muito cativante e a história desencadeará inúmeras discussões e reflexões.

 

Camila Melo – A Bookaholic Girl

Curinga2

“O caminho para casa” foi um livro que me tirou o chão. Mesmo depois de finalizar a leitura fiquei um tempo tentando digerir tudo, abalou as minhas emoções.

Eu não tinha conhecimento sobre a escrita e estilo da autora e acredito que fui pega de surpresa em alguns momentos. Durante a primeira parte do livro há sinais da tragédia que vai acontecer, e até me pareceu um pouco entediante. Entretanto, um detalhe crucial me fez pensar que talvez nada seria da forma que eu esperava. A partir de então, Kristin Hannah enfia uma faca em no meu coração e só para quando parece que o destroça por completo. Eu até cheguei a pensar que talvez todas as tragédias fossem forçadas, mas no final todas as pontas se conectam e funcionam como um bálsamo para as minhas feridas abertas. Narrado em terceira pessoa e com personagens muito marcantes, a leitura flui facilmente mesmo com a abordagem de temas tão pesados, mas necessários para reflexão.

O livro é um prato cheio para aqueles que amam uma boa história que leva às lágrimas, não se enganem, muitas lágrimas.

 

Flávia Tanabe – Coelho da Lua

Especial1

O fato do livro ser em terceira pessoa me desmotivou a ler já na primeira página. Mas vamos lá. Ao fim do primeiro capítulo, já não conseguia mais largar esse livro! E foi assim até o fim. O livro é barra pesada para o coração. Se prepara que é tenso.

É impossível falar sem spoiler, então vou me concentrar nos personagens. Jude e Miles são os melhores pais para os gêmeos Zach e Mia. A família Farraday é abastada e os pais esperam o melhor futuro para seus filhos, naturalmente. Jude é a mãe preocupada, que está sempre antenada ao que acontece com os gêmeos e percebemos que a amizade dos pais com os filhos é bem bacana. Miles é o pai mais despreocupado, que acha que os filhos devem curtir a juventude e deixa as decisões “chatas” para Jude. Zach e Mia são metades de um todo; são tudo o que dizem de gêmeos: se completam, se entendem, se sentem e dependem um do outro, mas tem personalidades muito diferentes. Enquanto Zach é o popular do colégio, Mia é retraída e não tem amigos. Até Lexi chegar.
Lexi é órfã, viveu a vida em lares temporários e mal sabe o que significa ser amada, coisa que sua tia-avó Eva a mostrou quando acolheu Lexi em sua casa (um trailer caindo aos pedaços). Apesar da infância de Lexi, ela sempre teve esperanças de um futuro de amor e sempre pensou nas outras pessoas em primeiro lugar. E todo esse amor de Lexi foi sentido pelos Farraday. A família a acolheu e a tomou como da família quando se tornou a melhor amiga de Mia, e assim os Farraday e a tia Eva se tornaram tudo que Lexi tinha.

A partir daí, só tenho um aviso: você vai chorar. Vai chorar porque coisas vão acontecer, vão mexer com seu psicológico porque apesar de ser um livro, poderia muito bem ter acontecido com você ou com alguém próximo. Você chora porque surge a Grace, uma menininha linda que traz nas suas feições a lembrança de uma pessoa que todos querem esquecer, porque Grace traz nos olhinhos lembranças do que todos eram antes.

Até a metade do livro eu não entendia qual era o foco porque a sinopse não diz quase nada. Até a metade do livro eu não sabia de que lado ficar, de quem sentir raiva ou de quem sentir compaixão. Mas depois entendi qual a moral da história: perdoar para voltar a amar.

 

Geovana Rodrigues – Inícios Marcantes

Bom3

A autora descreve a história de forma lenta e bem detalhada e por esse motivo fiquei meio presa nos dois primeiros capítulos. Mas do terceiro em diante, foi só amor (e sofrência!).

O livro é dividido em duas partes, na primeira conhecemos a família Farraday, vemos o zelo e carinho de Jude, a mãe extremamente coruja, o pai Miles, e os gêmeos Mia e Zach. E também conhecemos Lexi, uma garota sofrida, que cresceu em lares adotivos e fica encantada em conhecer os Farraday. Logo Lexi se torna melhor amiga de Mia, e acaba entrando para a família. Vemos também Lexi e Zach nutrirem um sentimento muito lindo um pelo outro. E então chega a parte dois e acaba com meu psicológico! Sofri e chorei junto com a Jude e a Lexi (e tenho que admitir que fiquei com raiva por alguns momentos do Zach). Cinco anos depois de uma tragédia que marcou todos eles, recebemos lições de perda, amor, perdão (e de como tentar chorar sem chamar atenção em público! hihi) Fiquei na bad várias vezes durante a leitura! A narrativa da Kristin é carregada de emoção, super indico!

 

A próxima leitura será:

A Química que há entre Nós – Krystal Sutherland

aquimicaquehaGrace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.

Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.

Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.

O que acharam das resenhas? Já leram o título? Se sim, o que acharam da história? Me contem nos comentários!

Boa leitura, beijos! ♥

SÉRIES/FILMES

Precisamos falar de “Big Little Lies”

Oii, bom dia leitores!

A resenha deste mês do projeto “Quatro por 4” envolveu o livro “Pequenas Grandes Mentiras”, da Liane Moriarty.  Eu finalizei a leitura durante uma madrugada e fiquei por dias pensando no enredo, são histórias de vida de mulheres emponderadas, fortes e que muitas vezes se camuflam para não deixarem suas fraquezas expostas para os filhos, maridos e demais pessoas que pensam que sabem tudo sobre suas vidas “perfeitas”.

Depois de ter finalizado a leitura e com a resenha já publicada, decidi assistir a série e convidei minha mãe, até porque compartilho todas as leituras com ela, sempre faço um resuminho e por sorte, dessa vez não revelei o desfecho, hihi.

Com a pipoca do lado, começamos a assistir e como são apenas sete episódios, decidimos assistir um por dia, porém ontem estávamos no penúltimo, não resistimos e assistimos ao último também, rs. Durante os episódios fui atualizando ela com os detalhes que não constavam na série e que estavam presentes no livro, tanto os mais irrelevantes, como os mais importantes e ao finalizar, senti que precisava compartilhar com vocês acerca do que achei e até debater, penso que “Big Little Lies” é uma história que deve ser discutida, pois envolve assuntos extremamente sérios.

Enredo

A história de uma maneira geral se mantém fiel, mas confesso que me frustrei quanto a alguns momentos, comportamentos e cenas que foram alteradas e/ou cortadas. Compreendo que por ser uma adaptação isso acontece, mas ficaram algumas frestas, há algumas situações que não foram tão exploradas e explicadas como no livro que podem acabar confundindo as pessoas que não leram, enquanto outras foram adicionadas e que ao meu ver, não tinham tanta necessidade. Como por exemplo o desfecho e uma traição, que não consegui aceitar de maneira alguma.

Eu tinha imaginado os personagens de uma maneira totalmente diferente, mas gostei da escolha dos atores/atrizes, a atuação dos mesmos foi genial! Você sente a angústia, medo, anseios, alegrias e se coloca no lugar de cada um. Um dos momentos que mais me senti próxima foi a cena final, aquele aperto no coração, o querer ajudar e se colocar na situação, é uma cena onde a sororidade impera.

Há muitas cenas que envolvem a violência doméstica e penso que a forma com que foi exposta é exatamente para impactar e gerar discussão, infelizmente muitas mulheres sofrem diariamente e se mantêm quietas, seja por medo do companheiro, por não querer aceitar a situação e tentar se convencer que é apenas um momento e que vai passar ou até mesmo a preocupação de não ter para onde ir.

Outro assunto que foi muito discutido durante todo o enredo foi o bullying, tanto o lado de quem sofre, como o lado de quem pratica.

“Crianças são/podem ser muito cruéis”, quem nunca ouviu essa frase? Pois saiba que se isso acontece é porque há uma explicação e na série é explorado o por que de tal personagem fazer o que faz, sei o quanto é difícil e dolorido para quem sofre o ato, quantas pessoas não crescem com um trauma interno e acabam desenvolvendo problemas de auto estima e personalidade, porém devo abordar também que quem pratica, apesar de tentar manter a imagem de superior, de que se sente bem fazendo o que faz, às vezes até passa a sensação de que se diverte, também sofre e acaba escondendo em si o real motivo que o leva a fazer.

Trilha Sonora

Ah, a trilha sonora! Que bela seleção de músicas e o mais adorável é que muitas delas são escolhidas pela filha de Madeline, uma mocinha alegre e apaixonada por músicas. Fiquei tão envolvida com a trilha que não resisti e estou ouvindo enquanto escrevo este post. A história ganhou um quê a mais com esse fundo musical, somos envolvidos desde a primeira, sim, a música de abertura até a última.

Ficaram curiosos? Se sim, não fiquem mais, abaixo disponibilizei o link para a playlist do Spotify

 

Ambientação

Além da trilha, o que cativa o leitor é o ambiente tanto interno quanto externo, a casa das personagens é de deixar qualquer um sem palavras, são fabulosas e as paisagens, nossa, verdadeiras obras da natureza. Que maravilhoso seria poder acordar e se deparar com o mar a frente.

Moda

Não poderia deixar de mencionar o guarda-roupa das personagens, que envolve desde combinações mais clássicas até as mais modernas, uma ótima fonte de inspiração para quando se está em dúvida do que vestir. Cada personagem possui um estilo marcante, dificilmente não se identificará com algum deles, hihi.

Para finalizar, deixo minha opinião final, se eu recomendo? Com certeza! Mas com uma ressalva, leia antes o livro, pois desta maneira compreenderá muito melhor o enredo e também porque poderemos debater sobre a obra, hehe. Estou tão empolgada para conversar sobre as semelhanças, diferenças e acerca de algumas situações e assuntos discutidos.

Beijos! ❤

PROJETO QUATRO POR 4

Projeto Quatro por 4: Pequenas Grandes Mentiras – Liane Moriarty

Oii, boa noite leitores!

O livro escolhido deste mês foi  “Pequenas Grandes Mentiras”, da Liane Moriarty, a indicação foi da Cah, do blog A Bookaholic Girl. Eu me apaixonei pela história e estou louca para assistir a minissérie, torcendo muito para que seja fiel, hihi.

É com enorme satisfação que anuncio à vocês que temos novas participantes no Projeto Quatro por Quatro: A Geo, a Ju e a Lara, do blog Inícios Marcantes. Sejam bem-vindas 

Editora: Intrinsecapequenas

Páginas: 400

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular.

Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando também sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de quanto isso afetará a vida de todos.

Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o novo romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.

Bia Constante – Books and Birds

envolvente

Que leitura surpreendente!

No início do livro, o leitor já é informado da ocorrência de um crime, no entanto os detalhes somente são esclarecidos ao final e é no decorrer do enredo que somos apresentados a todos os personagens e suas respectivas vidas. A história ora é narrada no tempo presente, ora narrada no tempo passado, o que aproxima o leitor e o deixa intrigado querendo solucionar o caso.

A autora aborda e discute assuntos intensos como bullying, violência domestica, estupro e as tais “vidas perfeitas”, que nada mais são do que representações que demonstram que tal pessoa e/ou família é perfeita, feliz e não possui problemas, quando na verdade a mesma esconde sentimentos reversos e adversidades.

Eu amei a escrita da Liane, a história é muito cativante, repleta de trechos marcantes que lhe fazem refletir sobre a vida. Eu super recomendo a leitura!

Camila Melo – A Bookaholic Girl

envolvente

Que livro maravilhoso! Com certeza se tornou um dos meus livros preferidos da vida! ❤

Eu estava muito ansiosa para fazer essa leitura devido à estreia da adaptação para minissérie, e, minhas expectativas não foram só atingidas como superadas. Liane Moriarty tem um estilo excepcional ao narrar a história: desde o início envolve o leitor no mistério de um assassinato em que não sabemos quem é o assassino e principalmente quem foi a vítima; cria e desenvolve personagens complexos e enigmáticos, além de imprimir um ritmo de leitura muito fluida e constante. Os temas que foram abordados dentro dos núcleos familiares são extremamente importantes para diálogo, e independem de classe social e/ou idade. É um livro que traz reviravoltas, faz rir e chorar, surpreende e leva à reflexões. Minha vontade é sair correndo para ler outros livros da autora. Então essa é minha recomendação: para tudo o que você está fazendo e vá ler “Pequenas Grandes Mentiras”.

Carla Lopes – Coelho da Lua

envolvente

Um livro que me prendeu desde o início pelo seu grande “quê” de mistério, e também pela escrita da autora, que é bastante fluida e marcante.

A história explora a vida de famílias de classe média alta e suas tentativas de manter as aparências; ou como transformam tudo em enormes problemas.

A autora aborda temas muito comuns, que podem vir a acontecer com qualquer um, independente de classe e que nos levam a refletir. O que permite uma proximidade maior com as personagens, além de serem cativantes por si só.

Mayara – Coelho da Lua

gostei

É o primeiro livro que eu leio da autora e quando comecei, não sabia bem o que esperar dele, o que se sabe da história é que houve um assassinato mas sem maiores detalhes conclusivos.

E então ele nos apresenta a vida de várias pessoas, com suas histórias cotidianas, seus mistérios, segredos e dores… tudo envolto em mentiras, sejam elas leves ou graves.

Achei a trama um pouco complexa mas sua narrativa fluída colabora para o seu bom desenrolar e, além disso, adorei a escrita da autora. A cada capitulo aguardamos por saber mais do que realmente está acontecendo e tentar entender melhor cada personagem… e tudo isso torna o livro bem singular, é bastante reflexivo e tem um bom desfecho. Eu super recomendo sua leitura.

A próxima leitura será:

Ocaminhoparacasa_CapaWEBO Caminho para Casa – Kristin Hannah

Durante 18 anos, Jude pôs as necessidades dos filhos em primeiro lugar, e o resultado disso é que seus gêmeos, Mia e Zach, são adolescentes felizes. Quando Lexi começa a estudar no mesmo colégio que eles, ninguém em Pine Island é mais receptivo que Jude.
Lexi, uma menina com um passado de sofrimento, criada em lares adotivos temporários, rapidamente se torna a melhor amiga de Mia. E, quando Zach se apaixona por ela, os três se tornam companheiros inseparáveis.
Jude sempre fez o possível para que os filhos não se metessem em encrenca, mas o último ano do ensino médio, com suas festas e descobertas, é uma verdadeira provação. Toda vez que Mia e Zach saem de casa, ela não consegue deixar de se preocupar.
Em uma noite de verão, seus piores pesadelos se concretizam. Uma decisão muda seus destinos, e cada um deles terá que enfrentar as consequências – e encontrar um jeito de esquecer ou a coragem para perdoar.
O caminho para casa aborda questões profundas sobre maternidade, identidade, amor e perdão. Comovente, transmite com perfeição e delicadeza tanto a dor da perda quanto o poder da esperança.

O que acharam das resenhas? Já leram o título? Se sim, o que acharam da história? Me contem nos comentários!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Essa Luz tão Brilhante – Estelle Laure

Oii, bom dia leitores!

Hoje venho compartilhar com vocês minha opinião acerca do livro “Essa Luz tão Brilhante”, da Estelle Laure.

IMG_20170309_174314

Lucille possui apenas 17 anos e vive uma situação intensa, seu pai sofreu uma crise e foi internado, sua mãe não soube lidar com o fato e simplesmente foi viajar e o que seriam apenas alguns dias para espairecer, viram meses. A jovem não é filha única, tem uma irmã mais nova chamada Wren. Wren apesar de parecer muito madura para a idade, começa a apresentar problemas na escola, ela se sente perdida com tudo que está vivendo e principalmente sofre por não poder contar para ninguém.

Lucille vê o tempo passar e começa a aceitar que sua mãe não voltará e diante de tal fato, arruma um emprego como garçonete. Como o horário não permite que cuide da irmã, ela pede ajuda para Eden, sua melhor amiga. Eden faz balé e deixa de frequentar algumas aulas para ajudar, porém com o tempo, seu desempenho diminui e quem acaba ajudando Lucille é Digby, seu irmão gêmeo. Lucille acaba se apaixonando por ele, o problema é que o mesmo está noivo.

Lucille é uma menina que encontra em si a força de uma grande mulher. Ela aprende que pode confiar, aprende a cuidar e ser cuidada e mais, aprende o valor da amizade e do amor.

IMG_20170309_175218

“(…) fico pensando que, às vezes algo lento acontece rápido e você não consegue apreender bem o momento, independentemente de ter sido importante, de ter de fato acontecido ou de você ter inventado.(…)”

“- Segredos não são nada bons. Acho que todo mundo tem um. Ou tem coisas que não quer revelar sobre si mesmo, por não estar pronto. Algumas coisas continuam especiais por mais tempo quando ficam guardadas com a gente, mas outras apodrecem quando a gente não pode falar. (…)”

“Tenho pensado que talvez existam coisas que simplesmente não podem ser explicadas — digo.— Que talvez, quando várias coisas ruins acontecem, coisas boas vêm logo em seguida”

IMG_20170309_175144

Que livro intenso, eu comecei a ler sem saber muito bem o que encontraria e me surpreendi. É admirável a atitude da personagem Lucille, ela faz de tudo para tentar manter uma normalidade dentro de casa, apesar do abandono dos pais. Se preocupa com o bem estar da irmã e acima de tudo tenta esconder a situação dos vizinhos e demais pessoas, pois imagina que se souberem vão denunciá-la e ela e a irmã poderão acabar sendo separadas.

Há um momento da história em que “anjos” começam a cuidar das irmãs de forma silenciosa, eles deixam os armários repletos de alimentos e produtos de higiene e ao mesmo tempo que isso assusta um pouco, é mágico. Imagina passar por uma situação complicada dessa e saber que alguém próximo está zelando por ti, é reconfortante.

Os personagens secundários apresentam um papel fundamental, as meninas da lanchonete são gentis com a Lucille e apesar de Fred, o chefe, determinar que as meninas devem trabalhar com roupas curtas, ele se preocupa com os funcionários.

Bem, não poderia finalizar esta resenha sem mencionar o quão irritada fiquei com o personagem Digby em alguns momentos, ele ajuda muito as irmãs, o problema é a maneira com que trata Lucille, ora demonstra estar apaixonado, ora se mostra apenas como amigo. Ela já está sofrendo muito para ter que lidar com sentimentos avessos.

Fiquei inconformada com o desfecho, eu li e reli mais de três vezes, tentando compreender o por quê. Foi um final tão abrupto e apesar de saber que há continuação, estou muito brava com a autora, rs.

Infelizmente a continuação, But Then I Came Back, ainda não foi publicada no Brasil e torço muito para que seja. Me apaixonei pela capa

butthen

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Primeira Leitura Finalizada da Carnatona: Intrigas da Corte – Elizabeth Fremantle

Oii, boa tarde leitores!

Recebi mês passado de cortesia da Editora Paralela, o lançamento “Intrigas da Corte”, da autora Elizabeth Fremantle. Apesar de ser o segundo volume da Série “Xeque-Mate da Rainha”, é possível ler de forma independente. Fiquei tão contente com o recebido que fui logo ler, inclusive aproveitei para adicionar a minha tbr da Carnatona.

IMG_20170308_103907IMG_20170308_103853

A leitura é tão cativante que não sabia se prosseguia rapidamente ou se aproveitava lentamente. É uma história densa, com trechos marcantes e personagens muito fortes, acredito que será apreciado pelos leitores que adoram história, romances intensos e arrisco dizer que envolverá até mesmo um público inesperado.

No decorrer do enredo conhecemos mais sobre os Tudor e a respectiva linha de sucessão pelo poder.

No ano atual, temos como rainha,  Mary Tudor, uma monarca rígida que segue a religião a risca. Diante de ameaças e uma traição, decide pelo enforcamento de sua prima Lady Jane Grey e o tio. A população vive uma época tensa, onde tudo é motivo de desconfiança e diante dos fatos recentes, Frances, mãe de Jane, se sente atordoada e muito preocupada com o bem estar de suas duas outras filhas: Katherine e Mary.

Katherine é conhecida pela sua beleza estonteante e apesar de ter se casado, teve a cerimônia cancelada devido aos escândalos envolvendo sua família. Sua mãe se preocupa com a mesma, pois ela pode acabar se tornando uma ameaça direta a rainha por poder ter filhos.

Mary é a filha caçula e ao contrário da sua irmã, não apresenta nenhuma ameaça a rainha, ela é chamada de ratinha por possuir baixa estatura e por ter nascido com uma má formação nas costas, o que lhe acarreta dificuldades físicas e sentimentais. A jovem se aproveita dos seus defeitos para se aproximar da rainha e assim proteger sua família.

Mary Tudor é casada e por muito tempo alimenta uma gravidez que mais tarde se mostra irreal e devido a este fato acaba por perder o marido. Depois de sua morte, a sucessora Elizabeth I se mostra mais amigável e não tão rigorosa quanto a religião para com a população, pelo menos é o que aparenta inicialmente.

Em meio a paixões arrebatadoras, mentiras, traições e muito poder, as irmãs Grey terão que se unir e lutar pelo que acreditam para poder ter uma vida sossegada ou quase isso.

IMG_20170307_173249

Eu fiquei tão impressionada com a história, a cada capítulo uma emoção diferente, me envolvi demais com os personagens. Ao final do livro a autora explica que tentou se manter fiel a história real, porém, como não foram encontrados registros acerca de alguns fatos, ela acrescentou detalhes para obter um enredo mais completo.

O livro é dividido em cinco partes, sendo que os capítulos ao invés de serem numerados, foram selecionados com narrações de personagens, ou seja, a cada novo capítulo, temos os pensamentos e narração de um personagem específico. Penso que dessa forma a autora conseguiu aproximar ainda mais os leitores da história e dos personagens, é como se estivéssemos trocando correspondências com os mesmos.

Não posso deixar de mencionar a respeito da diagramação, as letras possuem um tamanho confortável para a leitura e a arte de capa é belíssima, o contraste das cores com o hot stamp (prata) do título deixaram a edição mais bonita.

IMG_20170307_162439

O que auxilia a leitura e a deixa mais fluida é a árvore genealógica que encontramos no início do livro e as informações adicionais no desfecho: nota da autora, para entender a sucessão dos Tudor e a lista dos personagens.

IMG_20170307_173142

IMG_20170308_122236

IMG_20170308_122340

IMG_20170307_173045

A história tem como foco as rainhas Mary e Elizabeth I e a irmãs Grey e sua família, contudo, os personagens secundários apresentam um papel fundamental. Um destes personagens é Levina, uma pintora que sustenta a casa com o seu trabalho e que é também melhor amiga de Frances e suas filhas. É uma mulher forte que conheceu de perto o sofrimento, a traição e que em diversos momentos precisou se manter neutra para não colocar tudo a perder. Assim que finalizei a leitura, fui correndo pesquisar sobre a mesma e me impressionei com o detalhismo de suas obras.

Katherine Grey é uma sonhadora acima de tudo, não almeja ser rainha, quer apenas ser feliz junto a quem ama e infelizmente em decorrência a este amor acaba sofrendo. Ela se casa e ama seu marido, contudo, tem que se separar devido aos escândalos envolvendo o nome da família; se apaixona mais tarde pelo irmão de sua grande amiga Juno e este sim, se apresenta como o verdadeiro amor, mas a vida nem sempre é justa e para estar junto a ele, precisa abrir mão de outros amores.

Mary Grey é uma jovem que em muitas ocasiões é vista apenas como uma criança inofensiva e bobinha, passa despercebida entre a família e a rainha que mal sabem o poder que a pequenina possui. Com uma grande atenção a tudo a seu redor, ela conquista aos poucos as pessoas e acaba descobrindo mais do que deveria. Passa boa parte da vida sendo rebaixada devido a seus defeitos, porém, são os mesmos que lhe mostram que a beleza exterior não é o mais importante.

IMG_20170307_172843

IMG_20170307_180955

Finalizo esta resenha querendo reler o livro, me apaixonei demais com o enredo, realmente não esperava que fosse gostar tanto, confesso que até senti um certo receio, estava com medo que fosse uma história extremamente forte que me tirasse o sono. Quero ler o primeiro volume da série e estou super ansiosa pelo lançamento do terceiro, inclusive já deixo aqui meu pedido para que a Editora Paralela publique logo

Ao final da leitura refleti muito acerca do papel da mulher naquela época, é claro que não concordo com muitas das decisões que foram tomadas pelas rainhas, no entanto, imagino o que a levaram realmente a tais atos e fico pensando nas dificuldades que enfrentaram para conseguir se manter em uma posição de tanto poder. Como será que administravam os sentimentos, anseios e as inúmeras pressões?

Quero agradecer a Editora Paralela por ter me proporcionado esta maravilhosa experiência literária 

Boa leitura, beijos! ♥