RESENHAS

Sobre o Amor e Outras Manias – Leonardo Santaroli e Victor Soares

Oii, bom dia leitores!

A resenha de hoje envolve o livro  “Sobre o Amor e Outras Manias”, escrito pelo Leonardo Santaroli e ilustrado pelo Victor Soares.

O livro é o primeiro do selo Rodapé, selo este, que se dedica a livros do segmento infanto-juvenil, com foco em jovens autores que expressam o seu talento por meio das palavras, despertando empatia em seus leitores.

O título é repleto de textos que possuem como tema central, o amor. A cada página, somos envolvidos pelas doces palavras do autor, que nos mostra as diversas facetas do respectivo sentimento.

No decorrer da vida, somos embalados por muitas histórias de amor, desde as dos nossos pais, avós, tios e demais familiares, que nos inspiram e formam uma base do que consideramos um “amor ideal”; até os dos nossos amigos, quantas ligações, cartas (sou desse tempo, haha), e-mails e mensagens trocamos tanto para compartilhar sorrisos em momentos felizes, como para emprestar um ombro amigo em momentos nem tão agradáveis; até as nossas próprias, o primeiro amor, a primeira decepção até realmente encontrarmos alguém que nos adicione, sim, prefiro utilizar esta palavra do que complete, pois acredito que somos todos completos e que um parceiro/parceira vem para nos acrescentar. Além é claro do amor que visualizamos nos filmes, séries, livros e propagandas. Onde quero chegar? Bem, senti um vínculo com o autor a cada texto que li e penso que isso ocorreu devido as referências que tenho envolvendo o amor, foi uma sensação única, pois, mesmo não sendo tão sentimental e não ter vivenciado muitas paixões e amores, eu consegui ligar alguns dos acontecimentos narrados a filmes, histórias contadas por amigos e até mesmo músicas e tenho certeza que cada leitor que realizar a leitura deste título terá uma experiência diferente, se identificando mais ou menos com o conjunto de palavras.

Crescemos idealizando o amor, achando que o mesmo será encontrado igual nos contos de fada, de forma rápida e perfeita, e apesar de haver uma mínima porcentagem que indica que poderá sim, em sua grande maioria, isso não acontece. O amor vem aos poucos, é mais do que o físico, é algo espiritual que resiste ao dia-a-dia e as adversidades, é um pedido de desculpas ao final de uma discussão intensa, um sorriso depois de muito choro, um silêncio e/ou uma palavra no momento certo e até mesmo o saber ceder às vezes.

Eu li o livro duas vezes, sendo que da primeira vez o fiz de forma ordenada e na segunda, simplesmente me deixei levar pela aleatoriedade. É o típico livro para se deixar na cabeceira e ir apreciando aos poucos.

Não há como finalizar esta resenha, sem mencionar a diagramação. Me apaixonei pela mesma desde o primeiro momento, a arte de capa é linda; os traços das ilustrações são delicados e as fontes foram muito bem combinadas. O papel utilizado na confecção da edição foi o pólen bold 75g, uma folha mais grossa e amarelinha, que facilita o manuseio e torna a leitura mais agradável.

Boa leitura, beijos! ♥

PROJETO QUATRO POR 4 · RESENHAS

Projeto Quatro por 4: A Química que há entre Nós – Krystal Sutherland

Oii, boa noite leitores!

A resenha deste mês envolve o livro “A Química que há entre Nós”, da Krystal Sutherland. A indicação do mesmo foi da Flávia, do Coelho da Lua.

Editora: Globo Altaquimicaqueha

Páginas: 272

Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.

Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.

Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.

Bia Constante – Books and Birds

Especial1

Iniciei a leitura sem tanto entusiasmo e conforme fui avançando, as surpresas começaram a aparecer. A cada novo capítulo, uma emoção e revelação diferente.

O livro não é previsível e muito menos trata-se de um romance, pelo contrário, ele nos fala de perdas e em como é difícil administrá-las. A autora consegue abordar um assunto pesado de modo cauteloso e com aquela pitada de humor inteligente. Não posso deixar de mencionar o quanto adorei os personagens secundários, eles foram fundamentais para o enriquecimento do enredo.

Camila Melo – A Bookaholic Girl

Curinga4

“Sempre pensei que o momento em que você conhece o grande amor da sua vida fosse mais parecido com os filmes. Não idêntico a momentos cinematográficos, é óbvio, com câmera lenta, cabelo esvoaçando na brisa e uma trilha sonora instrumental bombástica. Mas eu imaginava que ao menos haveria algo, sabe? O coração saindo pela boca. Um puxão na alma onde algo de dentro diz: “Puta merda. Lá está ela. Até que enfim, depois de todo esse tempo, lá está ela.” (Pág. 7)

A partir desse primeiro parágrafo de A Química que há entre nós fui conquistada! Essa foi uma leitura maravilhosa! Apesar de ser um livro do gênero Young Adult cheio de clichês, eu adorei. A escrita da autora é atraente e muito envolvente, com capítulos curtos, várias referências da cultura pop e mistura de cenas extremamente tristes e hilárias. Um dos pontos que mais gostei foi a representatividade de personagens que fogem dos padrões de adolescentes no ensino médio no estilo corpo perfeito. Henry e Grace são tudo aquilo que não estamos acostumados a ver, bem como os personagens secundários. A partir do ponto de vista de Henry somos lançados aos mistérios que envolvem Grace, no seu passado obscuro. Os temas apresentados, são muito pertinentes e desenvolvidos com muito tato. Me fizeram refletir e chorar: o primeiro amor, perdas, relacionamento familiar, a preocupação com o futuro, faculdade e muitas inseguranças. Era o tipo de leitura que estava precisando no momento e super indico. Se tornou um dos meus livros favoritos do ano.

Carla Lopes – Coelho da Lua

Especial1

Uma história​ encantadora, sem dúvida. Porém, confesso que não me agradou logo de cara. O enredo demorou um pouco a me prender, talvez pelo drama adolescente bem clichê.
Mas, felizmente, foi muito além disso, e acompanhar os sentimentos de Henry desabrochar, assim como seu amadurecimento, foi simplesmente magnífico.
Os ((as) não lembro) personagens secundários também deixaram sua marca; os diálogos irreverentes e características únicas tornaram a leitura muito fácil. Depois de pegar o ritmo, vale muito a pena.
Entrou para a lista dos queridinhos, com certeza!

Geovana Rodrigues – Inícios Marcantes

Especial1

“Grace Town é uma charada embrulhada em um mistério dentro de um enigma” – e foi exatamente assim que me senti enquanto lia A Química Que Há Entre Nós. Narrado em primeira pessoa, acompanhamos toda a história pelo ponto de vista de Henry, um garoto que está na disputa pela vaga no jornal do colégio. E então, quando Henry menos espera, conhece o amor da sua vida. Mas não é bem como ele imaginava que seria. Conhecemos a Grace, uma garota cheia de mistérios. Quem é ela? Por que se veste e age assim? Esse livro não é bem uma história de amor, é como se Grace fosse uma droga que vicia Henry. Ele sabe o quão quebrada ela está, mas mesmo assim, se apaixona por ela. Mesmo sabendo que tinha tudo para dar errado, ele se joga de cabeça. Não tem medo de sofrer, só quer amá-la e a ajudar ela como puder. Fiquei com dó dele, porque só era correspondido dependendo do “momento” de Grace, mas ao mesmo tempo ele não conseguia ficar com raiva dela por causa disso, só queria puxar ela de dentro das páginas para dar um abraço bem forte. Não podemos esquecer Murray e Lola! Aqui os personagens secundários não são só pra encher cenário ❤ Os pais de Henry também são um amorzinho ❤ deu vontade de conhecer. O livro é recheado de referências Geeks e diálogos sensacionais (acho que nunca marquei tanto quote na vida hihi). É uma leitura rápida, os capítulos são curtinhos e a história te prende que você nem vê o tempo passar. Super indico!

A próxima leitura será:

Todo Dia – David Levithantododia

Páginas: 280

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

O que acharam das resenhas? Já leram o título? Se sim, o que acharam da história? Me contem nos comentários!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Resenha Especial Beco Club: A Filha Perdida – Elena Ferrante

Oii, boa noite leitores!

Hoje venho compartilhar com vocês minha opinião acerca do livro “A Filha Perdida”, da Elena Ferrante. Este título foi enviado para os assinantes do Beco Club, lembrando que as assinaturas de Julho estão disponíveis até o dia 10. Para assinar é bem simples:

Basta entrar no site do Beco –> http://becoclub.com.br/

Escolher a assinatura desejada: Assinatura Recorrente ou Kit Único

IMG_20170616_153547a

Eu comecei a leitura despretensiosamente, sem saber o que esperaria e me surpreendi com a narração, a escrita da autora e o desfecho. A autora desconstrói a imagem perfeita da figura materna, fazendo o leitor enxergar a mulher que existe por trás, que possui sentimentos, angustias e desejos.

Leda, uma professora universitária de quarenta e poucos anos, aproveita que as filhas já adultas, resolveram se mudar para a casa do pai e decide viajar para o litoral sul da Itália. Ela pensa que será um ambiente agradável para passar as férias e mal pode imaginar que acabará encontrando com seu passado, ou quase isso.

Ao chegar no seu destino, decide ir à praia e é atraída pelo comportamento de uma família de napolitanos, principalmente de uma jovem e sua filha. Posteriormente, ela descobre que a jovem se chama Nina e a menina, Elena e inesperadamente, começa a perceber que há muito dela em ambas e momentos de sua vida são resgatados. Em meio a tanto barulho e acontecimentos, Leda acaba se aproximando de Nina e Elena.

Aos poucos ela passa a observar o quotidiano da família e além de se identificar com mãe e filha, começa a perceber que quando estava distante, os membros aparentavam ter uma vida e quando se aproxima, sente que não são tão perfeitos assim e que utilizam uma máscara, escondem seus verdadeiros sentimentos.

Um dia, a menina desaparece misteriosamente e quando Leda começa a ajudar a família a procurar, não demora muito e descobre que a mesma estava à procura de sua boneca, boneca esta muito querida para ela, contudo, o que era para ser um desfecho feliz, acaba se transformando em uma enxurrada de choro, pois Leda comete um ato sem pensar. A boneca de Elena desaparece e quem encontra e esconde, é Leda. Ela o faz sem um porquê e no decorrer da trama toda, além deste episódio do desaparecimento da boneca, onde todos se unem para achá-la, Leda, aos poucos se torna ouvinte de Nina e começa a refletir e relembrar sobre diversos momentos de sua vida, desde sua infância, até os dias atuais.

IMG_20170616_153552a

As obras da autora estão sendo cada vez mais comentadas nos blogs e demais canais de comunicação e confesso que estava curiosa para conhecê-las e formar minha opinião acerca das mesmas. Devo começar falando que é uma leitura intensa, não estamos falando de um romance água com açúcar, mas sim de um drama, que transporta o leitor para o ambiente do enredo e o faz sentir todas as angústias e inquietações da personagem principal. Eu li em um período que estava tentando sair de uma ressaca literária e me senti um tanto quanto impressionada/abalada, fiquei refletindo sobre a leitura dias e dias depois, tentando compreender o desfecho e a história como um todo e hoje, não somente compreendo, como parabenizo a autora. A maneira como é retratada a figura materna, há momentos que você fica com raiva, se sente triste e há outros que acaba se solidarizando. A personagem Leda com suas duas filhas de mais ou menos 20 anos, se ressente de tantas situações e se contesta se realmente foi e é feliz sendo mãe, é uma história que não possui filtros, conhecemos a fundo todos os sentimentos e pensamentos da mesma. Para finalizar, não poderia deixar de mencionar que apenas não fiquei satisfeita com o término abrupto, esperava mais.

Eu não somente gostei, como eu SUPER recomendo esta leitura, é uma daquelas que te faz acordar para a realidade e para as situações e sentimentos não tão belos da vida, além de despertar uma vontade absurda de querer debater, aliás, leiam e voltem para podermos conversar, vou adorar, hihi!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Amores Improváveis no Colégio

Oii, boa noite leitores!

A resenha de hoje envolve um livro que estava querendo muito ler, estou falando de “Amores Improváveis no Colégio”, um livro escrito por diversos autores e publicado pela Editora D’Plácido.

O enredo do livro se passa no conceituado colégio interno La Famb, que é dirigido por Saulo Albuquerque.

Laura Albuquerque é filha do diretor, é bonita, inteligente, foi eleita como presidente do Grêmio e além disso, ainda namora Arthur, o que os torna o casal mais popular do colégio, com direito a torcida contra e favor.

Arthur Stein, esbanja charme por onde passa, arrancando suspiros das garotas e amedrontando os garotos. Com seu jeito bad boy e prepotente, pensa que o mundo gira ao seu redor.

Ágatha é bem descolada, possui tatuagens e vive retocando seu cabelo cor de algodão-doce. Ela é melhor amiga e companheira de quarto de Laura e possui uma amizade de longa data com Arthur. Seus pais sonham em lhe ver formada como advogada, contudo, ela é apaixonada por música e tem como sonho ser produtora musical, o problema é enfrentar seus pais, não quer vê-los chateados e muito menos discutir e se manter distante. Além desta situação, ela ainda se vê diante de um amor proibido, ou quase isso, ela nutre sentimentos pelo professor de Educação Física, Bruno.

Maristella, ou Stella, como prefere ser chamada, começou a estudar no La Famb depois de ter sido humilhada na sua antiga escola. A jovem quer ser atriz e logo que chega ao colégio se encanta com Arthur. Ao longo do curso, devido a suas médias baixas, precisa de monitoria e quem lhe ajuda é Denis.

Júlio é um jovem tímido que esconde um passado muito sofrido, passado este que acabou lhe deixando com um problema na perna, o fazendo mancar. Ele é bolsista e devido a seu problema físico, é humilhado por alguns outros alunos e somente se sente um pouco mais à vontade no colégio, quando começa a fazer novas amizades. O primeiro que conhece é Leo, seu companheiro de quarto. Posteriormente de forma inesperada, ele acaba conhecendo Ágatha e juntos, passarão muitos momentos agradáveis rodeados de músicas, séries e lanchinhos.

Nina é coreana, filha adotiva de Beto e Luca e é apaixonada por astrologia e jogos. Por possuir um desempenho satisfatório no colégio, costuma ser procurada por outros alunos para estudar e tirar dúvidas. A jovem ama seus pais, contudo, sente que precisa conhecer sua mãe biológica para obter algumas respostas e para se compreender melhor. Diante de tal situação, ela aproveita uma promoção de passagens para Coreia e compra, sem avisar seus pais. A ideia é viajar junto com seu melhor amigo Cícero.

Olívia se apaixona por Arthur logo que chega ao colégio e devido a esta paixão acaba se envolvendo em algumas situações embaraçosas e deixa os estudos de lado, o que lhe acarreta médias baixas. Ela é a filha do meio e seus pais sempre fazem questão de compará-la a irmã mais velha, reconhecida por eles, como a “filha perfeita”, com as melhores notas e comportamento. Devido a isso, a jovem se sente insegura e tenta lutar para melhorar não somente no colégio, como também sua imagem perante os pais.

Juntos, esses jovens tão diferentes descobrirão no decorrer do período letivo a importância da amizade e da união; encontrarão amores até então, improváveis e principalmente, lutarão para acabar com o bullying que rodeia o colégio.

O livro foi dividido em duas partes e escrito por sete autores, sendo que cada um escreveu sobre um personagem e a trama foi tão bem desenvolvido que não há nenhuma incoerência, é como se tivesse sido escrito por apenas uma pessoa. A cada capítulo o leitor é apresentado a história de acordo com a perspectiva de um determinado personagem e é exatamente a mesma que cada um possui diante das situações, que te faz refletir que uma situação sempre deve ser analisada de todos os ângulos e não se deve julgar sem antes se informar a respeito de todos os detalhes.

A história inicialmente parece ser apenas mais um romance adolescente e é no desenrolar da trama que somos surpreendidos por situações e sentimentos intensos que ocorrem nesta fase escolar. Além da preocupação usual com as notas, vestibular, ENEM, paixões nem sempre correspondidas, timidez e insegurança, deve ser citado também, um problema que infelizmente ainda é bem comum em algumas escolas, estou falando do bullying. Junto ao mesmo, ainda é explorado no livro, o relacionamento abusivo.

A cada novo capítulo, uma trilha sonora diferente é apresentada, eu aproveitei para unir todas as músicas e montei uma playlist no Spotify, para ouvir, basta acessar aqui. Caso esteja faltando alguma música, é só deixar um comentário que eu adiciono, hihi.

Para finalizar, não poderia deixar de mencionar a respeito da diagramação. Eu já havia me apaixonada pela arte da capa durante o lançamento do livro, mas confesso que fiquei ainda mais animada e maravilhada com o trabalho interno. Cada detalhe foi muito bem estruturado e pensado, desde a arte do início de capítulo, até as pequenas ilustrações no rodapé e entre o enredo, além dos balõezinhos que representam as conversas de Whatsapp. A editora está de parabéns!!!

Se eu gostei da história? Sim. Recomendo? Com certeza!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

O Sol Também é uma Estrela – Nicola Yoon

Oii, boa tarde leitores!

A resenha de hoje envolve o livro  “O Sol Também é uma Estrela”, da Nicola Yoon.

osol2

Natasha não acredita em destino, sorte e acha que sentimentos como o amor, são meras reações do corpo. Prefere a boa e velha ciência, tanto que pensa em ser Cientista de Dados. Mora em um pequeno apartamento em Nova York com os pais e o irmão mais novo. Ela nasceu na Jamaica e se mudou ainda muito nova, pois a mãe não aguentava mais a situação de se manter afastada do marido. Contudo, a promessa que ele tinha feito a família seria de que passaria pouco tempo em Nova York para se ajeitar e arrumar um emprego fixo como ator, tinha até como meta estrelar em peças da Broadway, porém, nada disso acontece e por isso atualmente vivem de modo simples em um apartamento de apenas um quarto, onde os filhos precisam dormir na sala. Além disso, quem trabalha em mais de um turno e mantém as contas pagas é a esposa.

Se não bastasse a difícil situação, o pai de Natasha se embriaga, bate o carro e acaba contando aos policiais toda sua história, inclusive que está nos Eua de forma ilegal. O resultado desta confissão é a deportação da família toda rumo à Jamaica.

A jovem acha injusto ter que voltar a seu país de origem tão repentinamente e logo no último ano, foi difícil para a mesma se encaixar na atual cidade e agora que se sente bem, possuindo apenas 12 horas na cidade, decide correr atrás de uma maneira para adiar e/ou até mesmo cancelar a deportação. Durante o caminho, acaba esbarrando em Daniel e tudo que ela fazia questão de afirmar, começa a se alterar…

Daniel é um jovem apaixonado por poesia que devido a influência da família terá que ser médico. Seus pais são super tradicionais e pensam que este é o melhor caminho para o filho, não querem que ele passe dificuldades assim como eles passaram. O jovem possui um irmão mais velho que depois de ter se metido em encrenca e ter sido expulso da faculdade, acaba se tornando a ovelha negra na família, o que acarreta em tornar seu irmão mais novo o centro das atenções e orgulhos.

Daniel apesar de não querer seguir na profissão de médico, sabe que o fará pela família e justamente no dia da tão importante entrevista com um ex-aluno de Yale, ele acaba conhecendo Natasha. O encontro acontece de uma maneira tão bizarra, que o faz refletir sobre a vida, destino e coincidências.

Em meio a uma entrevista, um quase corte de cabelo, um fone rosa quebrado e uma corrida contra o tempo, os jovens perceberão que a vida às vezes esconde surpresas.

osol

“Nomes são coisas poderosas. Servem como marcadores de identidade e uma espécie de mapa, localizando a pessoa no tempo e na geografia. Mais do que isso, podem ser uma bússola.”

♥ 

“– O senhor tem alguma ideia de como é não se encaixar em lugar
nenhum? – De novo falo baixo demais para ser ouvida, e de novo ele
escuta.”

“Às vezes, quando você procura uma palavra no dicionário, vê algumas
definições indicadas como obsoletas. Natasha pensa nisso com frequência,
em como a língua pode ser escorregadia. Uma palavra pode começar
significando uma coisa e acabar significando outra.”

“Quero dizer a ele que talvez não devesse deixar tudo por conta de
Deus, e que esperar mesmo sem esperança não é uma estratégia de vida.
Mas isso significaria falar com ele, o que não desejo fazer.
As pessoas repetem essas coisas para que o mundo faça sentido.
Secretamente, no fundo do coração, quase todo mundo acredita que existe
algum sentido, alguma objetividade na vida. Justiça. Coisas boas acontecem
com pessoas boas. Coisas ruins acontecem com pessoas ruins.
Ninguém quer acreditar que a vida é aleatória. Meu pai diz que não
sabe de onde vem meu ceticismo; mas não sou cética. Sou realista. É
melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas
não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem.”

“OS SERES HUMANOS não são criaturas razoáveis. Em vez de
governados pela lógica, somos governados pelas emoções. O mundo seria
um lugar mais feliz se o oposto fosse verdade.”

“As pessoas passam a vida inteira procurando o amor. Mas como a gente vai confiar numa coisa que pode acabar tão subitamente quanto começa?”

“Para começo de conversa, não gosto de coisas temporárias, sem provas concretas, e o amor romântico é temporário e não é passível de prova.
A outra coisa secreta que não conto a ninguém é o seguinte: não tenho
certeza se sou capaz de amar. Nem temporariamente.”

“O problema de se apaixonar, de cair de quatro, é que a
gente não tem o controle da queda.”

 ♥

“É tudo um pouco demais. Estou me sentindo fora de controle.
– Por que isso é tão ruim?
– Gosto de ver as coisas chegando. Gosto de planejar com
antecedência.
E eu entendo. Entendo mesmo. Somos programados para planejar com
antecedência. Isso faz parte do nosso ritmo. O sol nasce todo dia e cede
espaço para a lua toda noite.
– Mas, como disse o segurança, planejar nem sempre funciona – falo.”

osol3

Sabe aquele livro repleto de trechos que te marcam e te fazem se identificar com as situações expostas? Pois bem, esse foi um exemplo, eu me flagrei selecionando quotes e mais quotes, desculpem pela quantidade que selecionei, não consegue deixar de mencioná-los por aqui, haha.

Eu mais uma vez fui cativada pela escrita da Nicola, além da construção dos personagens e do ambiente serem incríveis, a mesma consegue descrever inúmeras situações e sentimentos que transcorrem durante apenas um dia. Adorei o fato dos capítulos serem alternados entre todos os personagens envolvidos na narrativa e não digo apenas de Daniel e Natasha, como também os demais, desde os pais de ambos, até a funcionária do aeroporto, advogado e outros. Foi fantástico conhecer um pouco mais de cada personagem, me senti muito próxima da história.

A autora com esta história faz o leitor pensar se o que está vivendo é a união de meros fatos aleatórios ou se há algo a mais, talvez uma vida já pré-destinada. Além do romance, o livro aborda sobre assuntos que devem ser discutidos como a imigração ilegal e o racismo. Eu adorei o livro e mal posso esperar pelo lançamento de mais algum, por favor Nicola, não nos deixe órfãos por muito tempo, hihi

Se eu gostei? Sim. Recomendo? Com toda certeza, sem dúvida, claro!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Graffiti Moon – Cath Crowley

Oii, bom dia leitores!

Recebi semana passada em parceria com a Editora Valentina, o livro “Graffiti Moon”, da autora Cath Crowley.

IMG_20170605_154949

Lucy é uma artista, trabalha com vidros. Seus pais trabalham no ramo artístico também, a mãe é escritora e o pai, mágico, comediante e taxista; um casal que mora no mesmo terreno, porém em construções diferentes que a todo momento fazem questão de manter a ideia de que não estão e nem pretendem se separar, apenas decidiram morar separados para poderem atingir um resultado profissional mais satisfatório. 

Ed mora com sua mãe e nunca conheceu o pai. Ele tem muitas dificuldades com a leitura e devido a isso, decidiu que seria uma boa opção largar a escola e começar a trabalhar para ajudar nas despesas. Ele consegue arrumar um emprego em uma loja de tintas e adora os donos, as conversas com Bert são sempre as mais inspiradoras, porém, quando o mesmo morre, Ed perde o emprego e não sabe como lidar com a notícia, não somente devido a perda do grande amigo, como também, não deseja que sua mãe largue os estudos e volte a trabalhar em dois turnos. 

Lucy acaba de terminar o ensino médio e para comemorar esse marco, decide se encontrar com Jazz e sua recente amiga, Daisy, para sair. Junto a esta comemoração, a mesma aproveita a noite para finalmente conhecer o Sombra, um artista secreto que espalha seus grafites pela cidade.

Lucy é apaixonada pelas ilustrações carregadas de sentimentos e significados do mesmo e pensa que poderia facilmente se relacionar com alguém como ele. Contudo, nem tudo sai como planejado e ela acaba se encontrando com Ed, Leo e Dylan.

Daisy, está cansada das atitudes de Dylan, ambos namoram há bastante tempo e ele nem sequer se recorda de datas importantes e justamente no último dia de aula e também o dia de seu aniversário, ao invés de ser presenteada e/ou no mínimo parabenizada, ele não se recorda da data e lhe enche de ovos.

Jazz quer ser atriz e se considera uma vidente, é a típica pessoa que não se deixa envolver muito e ao conhecer Leo, pensa, ou melhor, pressente, que é uma boa ideia aceitar dançar e até quem sabe deixar rolar algo.

Lucy conheceu Ed alguns anos atrás, eles estudaram na mesma sala de artes e da mesma maneira com que se conheceram, rapidamente, foi a maneira com que se separaram. Ele a abandonou no meio de um trabalho e o pior, quando eles marcaram um encontro, ele foi rude e insensível, o que acarretou em um nariz quebrado e um coração magoado.

Com a promessa de que poderá se encontrar com o Sombra, Lucy, Jazz e Daisy, decidem acompanhar Ed,  Leo e Dylan. O que não esperam no entanto é que poderão descobrir um lado dos meninos até então desconhecidos.

IMG_20170606_103043a

Depois de muitas resenhas positivas, comecei a leitura repleta de expectativas e ao finalizar, pude compreender o porque encantou tantos leitores. “Graffiti Moon” é um livro que aborda sobre vidas reais e muitos sentimentos.

Os capítulos são alternados, ora narrados pela Lucy, ora pelo Ed e ainda temos alguns do Poeta. Eu AMO livros assim, pois eles aproximam o leitor dos personagens, você sabe exatamente o que cada um está pensando e o que está sentindo.

Quanto a diagramação, as fontes possuem um tamanho confortável para uma leitura tranquila; os capítulos e divisões entre algumas páginas possuem pequenas ilustrações, o que achei criativo e a capa é atraente e combina muito bem com o enredo do livro.

Se eu gostei? Sim. Indico? Com certeza!

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Uma Noite Como Esta – Julia Quinn (Quarteto Smythe-Smith #2)

Oii, boa tarde leitores!

Depois de muito adiar, sim, sou uma leitora que gosta de “economizar” livros de séries, para não se tornar órfã muito cedo, hahaha, finalmente li o segundo livro do “Quarteto -Smythe Smith”, da queridíssima e amada Julia Quinn.

umanoite3

Daniel, depois de ficar três anos fora, enfim retorna a Londres e somente o faz, pois seu amigo Hugh lhe garante que ficará seguro. Decide surpreender a família e acaba chegando justamente no dia do famoso recital das Smythe-Smith, um evento musical composto apenas pelos membros femininos da respectiva família. Ele como todos os demais convidados, não sabe muito como se portar e por isso prefere se manter escondido e assistir por uma fresta de uma porta.

Chegou o tão aguardado dia do recital das Smythe-Smith e nenhuma das jovens está muito feliz, pois sabem que não são boas e que todos que presenciam o evento apenas o fazem por pena e/ou por não saberem como declinar ao convite.

Lady Sarah não quer se apresentar de maneira alguma e por isso inventa que está doente e para que o evento não seja cancelado, sua mãe decide colocar em seu lugar, a governanta Anne Wynter.

Anne Wynter ou Annelise Sophronia Shawcross, mantém sua verdadeira identidade muito bem escondida, pois sabe que seu passado pode lhe trazer não somente perigos, como também uma demissão.

Anne não tem muita escolha, sabe que não pode negar o convite de Lady Pleinsworths e acaba assumindo o controle do piano. Quando a jovem governanta está tocando, percebe que há alguém atrás da porta observando o recital e posteriormente descobre que o tal é Daniel Smythe-Smith.

Logo após o desfecho da apresentação, ambos se encontram e um beijo acontece. Ela sabe seu lugar e apesar de ser errado, gosta da situação. Ele sabe que sua atitude não é a certa, mas não consegue resistir a bela jovem que instantes atrás estava tentando tocar harmoniosamente e a partir deste dia faz de tudo para estar sempre próximo.

Daniel se apaixona por Anne muito antes de saber quem ela é e para lhe conquistar passará por situações perigosas, uma encenação teatral e até mesmo enfrentará as regras impostas pela sociedade acerca do matrimônio.

umanoite

Detalhes, ela se lembrou. Detalhes são importantes. Detalhes eram rápidos e secos e não tinham nada a ver com emoções ou sentir falta de alguém ou qualquer tipo de preocupação ou cuidado, exceto eram só sobre fatos.

A fúria que vinha crescendo dentro dele começou a crepitar. Ele nunca, nem
uma vez na vida, sentiu raiva em nome de outra pessoa. Era isso o que o amor
significava? Que a dor de outra pessoa pudesse cortar mais profundamente do
que a dele própria?

umanoite2

Que delícia de leitura, fui sendo cativada pelos personagens a cada novo capítulo. Neste livro conhecemos mais a fundo o motivo pelo qual Daniel se manteve afastado por tanto tempo e até mesmo um trecho referente ao primeiro livro da série envolvendo sua irmã e seu melhor amigo. Além do romance, é abordado um assunto que nunca antes havia sido, que é o relacionamento abusivo. É admirável a maneira que a autora tratou o assunto e como nos apresentou a uma personagem forte que apesar de todo o sofrimento, foi em busca de um pouco de sossego e momentos felizes.

O romance diferente dos outros livros da Julia é retratado de uma forma diferente, Anne não se deixa encantar tão facilmente por Daniel, pelo contrário, o romance entre ambos ocorre vagarosamente, o que é muito compreensível, devido ao passado da mesma e apesar dele apresentar inicialmente um comportamento pouco gentil, aos poucos seu jeito vai se alterando e ele começa a perceber que ela não se afasta por não ter interesse, mas sim, porque tem receio de que seu passado se repita.

O livro é repleto de drama, romance e humor, as jovens Harriet, Elizabeth e Frances, jovens estas que Anne ensina, são super divertidas, principalmente Harriet que sempre tem uma palavra na ponta da língua para ser dita.

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

O Acordo – Elle Kennedy (Série Amores Improváveis #1)

Oii, boa tarde leitores!oacordo

Recentemente adquiri gratuitamente na Amazon, o livro digital “O Acordo”, da autora Ellen Kennedy. O mesmo é o primeiro da série Amores Improváveis.

Ela passou por uma situação traumatizante quando tinha apenas 15 anos e apesar dos anos de terapia terem lhe ajudado, ainda se sente insegura e receosa perante as pessoas.

Ele sofreu ameaças e se sentiu impotente até a morte de sua mãe, quando percebeu que poderia contornar a situação em que se encontrava. Apesar de ter se livrado do caos, a raiva, angústia e tristeza ainda permanecem e são lembranças recorrentes a cada jogo.

Hannah estuda música, trabalha em uma lanchonete e se esforça muito para conseguir conquistar a tão sonhada bolsa. Porém, sabe que não será tão simples, já que seu parceiro musical faz de tudo para lhe prejudicar e se não bastasse esse infortúnio, ela ainda se vê diante de um grande desafio: ajudar um bad boy do hóquei nos estudos.

Garret é o capitão do time hóquei e pensa que para conseguir se manter forte, não pode se relacionar seriamente com nenhuma mulher, considera o namoro uma distração e devido a isto, apenas se diverte jogando seu charme e seduzindo. Tudo vai bem em sua vida, até receber a nota de Ética Filosófica e perceber que se não melhorar o desempenho, poderá ficar de fora dos jogos. Apreensivo, recorre a uma jovem que gabaritou na prova, ele não se lembra ao certo de seu nome, só sabe que precisa muito de sua ajuda.

Depois de muito insistir e praticamente implorar, ele finalmente consegue convencer a jovem, jovem esta chamada Hannah, a lhe ajudar. Porém, não se trata apenas de um ato bondoso, eles fecham um acordo: ela lhe ajuda nos estudos e ele em troca, lhe ajuda a atrair a atenção de Justin, um rapaz, pelo qual ela tem interesse.

As aulas começam e juntamente, um sentimento.

Será que Hannah conseguirá resistir ao charme do jogador? E Garret, será que um rapaz que não acredita em relacionamentos, conseguirá se manter focado somente nos estudos?

Duas pessoas completamente diferentes, ela, uma jovem estudiosa e apaixonada por música; ele, um rapaz apaixonado por hóquei, mulheres e bebidas. O que possuem em comum?

Se sentem “quebrados” e poderão acabar encontrando sem querer, uma forma de consertar velhos machucados.

 

  “Um cavalheiro se ofereceria para dormir no chão, sabe?”
“Pareço um cavalheiro para você?”
Ela ri disso. “Não.” Há um momento de silêncio. “Certo, vou ficar aqui.Mas só porque mal consigo manter os olhos abertos, e realmente não quero ter que esperar por um táxi.”

Às vezes, as pessoas entram na
sua vida e, de repente, você não sabe como foi capaz de viver sem
elas antes. E já não consegue entender como vivia a vida, saía com
os amigos e dormia com outras pessoas sem ter essa pessoa
importante na sua vida.

Agora ele parece apenas resignado. “E as pessoas sabem quando
vão se apaixonar por alguém? Acho que é algo que simplesmente
acontece.”
“É, acho que sim. Ele… me pegou de surpresa.”

Comecei a leitura achando que encontraria um romance hot bem clichê e de certa forma foi o que encontrei, porém, seria injusto não mencionar que junto ao desfecho esperado, encontrei situações e momentos intensos, assuntos que muitas vezes são deixados de lado e que devem ser discutidos, como o estupro e a violência doméstica.

Me apaixonei pelos personagens e estou louca para ler os demais livros da série, hihi

Se eu gostei? Sim. Recomendo? Com certeza! É um romance cativante que lhe fará pensar acerca de assuntos fortes.

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Resposta Certa – David Nicholls

Oii, boa noite leitores!

Faz tempo que estou querendo ler algum livro do David Nicholls e assim que fui presenteada com este título, não tive dúvidas de que precisava ler o quanto antes. Posso adiantar que me surpreendi, é uma leitura repleta de humor e referências.

respostacerta

Brian Jackson acaba de entrar para a faculdade de Letras. Em seu primeiro dia, conhece a bela Alice, uma jovem que arranca suspiros por onde passa. Ele acaba se apaixonando pela mesma e apesar dos esforços para lhe atrair a atenção, apenas consegue ser motivo de piada diante dos demais. O jovem se esbarra com ela quando descobre em um quadro de avisos que será realizado o Desafio Universitário, um programa de televisão que consiste em perguntas e respostas. Brian mal pode acreditar que enfim realizará seu grande sonho, um sonho que foi dividido com seu pai por muito tempo.

“Por que você acha que os livros são as primeiras coisas que os fascistas queimam? Você precisa aprender a se defender melhor — e sai trotando pelos degraus para desaparecer na noite.”

Quando chega o dia da prova de classificação, Jackson tem a oportunidade de não somente conversar com Alice, como acaba sendo atraído pelo charme mais uma vez e lhe passa algumas respostas. Resultado: Ela passa e ele não, por uma diferença mínima.

“Então, talvez seja melhor pensar numa conversa como atravessar uma rua: antes de abrir a boca, dar um tempo, olhar para os dois lados e considerar com cuidado o que estou prestes a falar. Se isso quer dizer que a minha conversa ficaria um pouco lenta e forçada, como uma ligação telefônica transatlântica, se significa passar um pouco mais de tempo parado no meio-fio da conversa metafórica, olhando para a esquerda e para a direita, que seja, porque está claro que não posso continuar tropeçando a esmo no trânsito.”

Destino ou sorte, um imprevisto acontece e Brian consegue entrar na equipe, porém, no decorrer até o tão sonhado dia para participar do desafio, ele precisará lidar com amores não correspondidos, ressacas, amizades antigas e acima tudo, consigo mesmo.

respostacerta2

Ao início de cada capítulo há uma pergunta com sua respectiva resposta, achei super interessante, faz o leitor entrar no clima para o Desafio Universitário junto aos personagens. Durante toda a história somos embalados por inúmeras referências musicais e literárias.

respostacerta4

Inicialmente não me empolguei com a história, achei um pouco enfadonha, contudo, com o decorrer do enredo fui me envolvendo com os personagens, dei boas risadas e fiquei super curiosa para saber a respeito do desfecho de Brian, que a propósito, foi perfeito, hahaha!

respostacerta3

Boa leitura, beijos! ♥

RESENHAS

Um Ano de Comemorações: Contos especiais para todos os meses do ano – Clara Savelli

Oii, boa tarde leitores!

A autora Clara Savelli proporcionou aos seus parceiros a oportunidade para lerem a versão beta de seu novo livro de contos. Eu fiquei muito feliz por poder ler e hoje venho compartilhar com vocês um pouquinho sobre a obra e minha opinião acerca da mesma. Quero aproveitar para contar que me animei a voltar a fazer as resenhas ilustradas, estou um pouquinho “enferrujada”, mas confesso que gostei do resultado. Eu me empolguei e fiquei inspirada depois de assistir ao bate-papo com o autor Pedro Gabriel e é claro, depois de ler o livro da Clara. Conforme fui lendo, fui imaginando o que poderia ilustrar do enredo e além disso, achei que ficarei perfeito no post, já que o livro ainda não possui uma capa definida. Não se esqueçam de me contar o que acharam!

IMG_20170518_135951aa

O livro é composto por doze contos, sendo cada um representando um mês e uma comemoração especial:

Janeiro: Férias de Verão

“Na vida não se conta quantas vezes você respirou e sim quantas vezes você perdeu o fôlego.”

“– De repente você não é tão inteligente quanto parece, então. Ou saberia que ideias opostas tendem a se completar.
— Ou a gerar conflitos – completei.”

Fevereiro: Volta às Aulas
Março: Dia da Mulher

“— Rosas não são muito simplórias? — Roman questionou, esticando sua mão para tocar um botão azul, perto de despontar.
— São as melhores amigas das mulheres — Carly arriscou um sorriso.
Estava tão tensa que provavelmente o que saiu foi alguma careta esquisita”

Abril: Primeiro de Abril
Maio: Dia das Mães

“Tem vezes que a gente trabalha no automático. Só nossa mente em funcionamento, focada em uma coisa especifica, esquecendo de todas as ramificações.
Mas tem vezes que só quem trabalha é o coração. Ele toma controle de todo pedaço de seu ser, amordaça seus pensamentos e te deixa só. Sem chão, sem eira nem beira, só com a força incrível que ele tem.”

Junho: Dia dos Namorados
Julho: Férias de Inverno
Agosto: Dia-a-Dia Estudantil
Setembro: Bienal do Livro
Outubro: Dia das Crianças
Novembro: Aniversário
Dezembro: Natal

IMG_20170518_140134aa

Eu li o livro duas vezes e me apaixonei pela simplicidade e leveza dos contos. A autora explora situações das quais o leitor acaba se identificando, seja porque já passou ou porque sabe que ainda poderá passar.

IMG_20170518_140136a

Os contos são curtinhos e o que mais gostei foi a mensagem apresentada ao final de cada conto, que envolve você analisar sempre os dois lados de uma situação, não é porque tudo parece estar dando errado, que não pode melhorar, pelo contrário, sempre devemos visualizar o que há de bom nas experiências.

No geral, o romance predomina, porém, junto ao mesmo encontramos um enredo relacionado ao tema de comemoração, como por exemplo no conto do “Dia das Mulheres”, onde é abordada a explicação a respeito do dia.

Ainda não há uma data para publicação do conto, o mesmo está sendo finalizado, mas assim que tiver eu volto e aviso vocês.

Para finalizar, só tenho um adendo a fazer, se preparem, porque vocês irão se apaixonar pelas histórias e assim como eu, ficarão com aquele gostinho de quero mais, haha!

Boa leitura, beijos! ♥