RESENHAS

Se eu ficar – Gayle Forman

Oii, boa noite leitores!

“Se eu Ficar” foi o segundo livro que li na segunda semana da Maratona Literária de Inverno. Antes de começar a falar sobre a história, quero contar para vocês em que momento acabei lendo esse livro e aí vão entender o porque de ter causado um impacto tão grande. Dias atrás começaram a surgir na internet algumas notícias a respeito de fotografias, onde era possível ver possíveis “almas” saindo dos respectivos corpos físicos em acidentes e hospitais. Eu não sei até que ponto acredito que seja possível registrar, me questiono porque não é algo habitual. E além desse episódio, na mesma semana ocorreu um acidente próximo a minha cidade e como sou um pouco impressionada, fiquei com a história na cabeça.

seeuficar (3)

Mia mora com seus pais e seu irmão, namora com Adam, o vocalista de uma banda chamada “Shooting Star” e possui o sonho de estudar na Juilliard, uma escola de música super renomada localizada em Nova York. A jovem é apaixonada pela música e apesar de ter crescido com um pai baterista, foi com o som e a elegância do violoncelo que ela se identificou mais.

Um dia de muita neve, as aulas são suspensas e a mãe de Mia aproveita e falta ao serviço e apesar de não ser o dia ideal para sair de casa, a família decide visitar velhos amigos. Durante a viagem, ocorre um acidente e infelizmente os pais e o irmão de Mia não resistem aos ferimentos e morrem. Ela sobrevive e o mais intrigante é que consegue ver tudo que está ocorrendo no perímetro do desastre, até mesmo se vê e não consegue explicar como isso é possível e mais, como não pode sentir nenhuma dor.

“— Mas, falando sério, como a gente consegue acabar com o nervosismo?
Papai continuava sorrindo, mas posso dizer que ele tinha ficado sério porque diminuiu o tom de voz:
— Nós não conseguimos. Apenas aprendemos a lidar com ele. E aguentamos firme.”

seeuficar (2)

Encaminhada ao hospital, ela permanece confusa e profundamente abalada, não consegue aceitar o que aconteceu e se sente sozinha, não somente por ter perdido seus familiares, como também por não conseguir se comunicar com os médicos, amigos e demais familiares. Adam fica sabendo do acidente através de Kim, a melhor amiga de Mia e com medo de perder a namorada, faz loucuras para vê-la, desde tentar invadir o quarto onde a mesma está até causar um alvoroço em plena UTI. Depois de conversar com os familiares da jovem, por fim, consegue a permissão para vê-la e apesar de ficar impressionado à primeira vista, não quer deixá-la, sente que não pode viver sem ela e começa a conversar, tem a esperança de que a mesma pode ouvi-lo.

“Às vezes você faz escolhas na vida e outras, as escolhas vêm até você.”

Mia pode ouvir tudo e ver e apesar de não ter “super-poderes” como atravessar paredes, ela é capaz de se movimentar pelo hospital e durante esse período reflete sobre a atual situação e se vale a pena voltar. A dor que sente pela perda dos familiares é muito forte e saber que ficará sozinha é algo extremo, por isso ela deverá decidir se permanece com os amigos, namorado e demais familiares e tenta viver e superar essa situação traumatizante ou se parte e fica com os pais e irmão.

“Jamais pensei que me apaixonaria. Nunca fui o tipo de garota que tinha paixonites por estrelas do rock ou que fantasiava em se casar com o Brad Pitt. Eu sabia que algum dia provavelmente eu teria namorados (na faculdade, de acordo com as predições de Kim) e que me casaria. Não estava totalmente imune aos encantos do sexo oposto, eu era uma daquelas garotas românticas que tinha sonhos cor-de-rosa sobre o amor.”

seeuficar (1)

Esse livro mexeu muito com minhas emoções, ele me trouxe lembranças de situações e pessoas, além de me deixar por horas a fio refletindo sobre o que ocorre, se realmente a pessoa que está gravemente ferida e internada pode ouvir tudo que se passa ao seu redor, se ela tenta se comunicar, é até um pouco desesperador. Diante dos fatos que mencionei logo no início da resenha, podem imaginar como foi terminar essa leitura…

Apesar de ficar um tanto quanto impressionada, inclusive até sinto meu coração apertadinho ao escrever, é uma história muito profunda e cujo a leitura é rápida, a autora atrai a atenção do leitor do começo ao fim e ainda deixa aquela vontade de quero mais, sabe?! Como boa amiga leitora, aviso que provavelmente essa história arrancará lágrimas dos corações mais sensíveis, por isso já indico deixar uma caixinha de lenço ao lado, rs.

seeuficar(4)

A autora utilizou dois recursos que ao meu ver somente enriqueceram a leitura que foi alternar os capítulos, ora acontecimentos presentes, ora acontecimentos passados e nomear os capítulos de acordo com a hora dos acontecimentos, ao invés de nomear com palavras.

Quero agradecer a Natália do blog Only Secret Dreams pela indicação, é um livro inesquecível. Além de querer assistir ao filme, quero muito ler a continuação.

Boa leitura, beijos! ♥

Anúncios

6 comentários em “Se eu ficar – Gayle Forman

  1. Aaah Bia, fico muito feliz que tenha gostado hehe. É um livro que mexe com nossas emoções mesmo e que ficamos refletindo a respeito… Deve ser angustiante se realmente a pessoa escuta tudo o que está acontecendo ao seu redor e não consegue se comunicar :/
    Também adorei esse recurso que a autora usou, e quando terminei o livro já queria ler o próximo, que por sinal vale super a pena também… Amei sua resenha 😍
    Um beijão!! ❤️

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s