SINOPSES

Os contos de Beedle, o Bardo – J. K. Rowling

Editora: Roccocontos-de-beedle-bardo

Páginas: 128

Citado em Harry Potter e as Relíquias da Morte como um presente deixado pelo mestre Alvo Dumbledore para Hermione Granger, Os contos de Beedle, o Bardo reúnem cinco histórias, quatro delas inéditas. Uma delas – “O conto dos três irmãos” – aparece na íntegra no sétimo livro da série e é fundamental para o entendimento da trama. Rowling brinca com os leitores ao informar que os contos foram traduzidos das runas originais pela personagem Hermione, a partir do velho exemplar herdado por ela. Da mesma forma, a escritora criou comentários e notas para cada conto e os atribui ao professor Alvo Dumbledore. São reminiscências do mestre que revelam muitas curiosidades sobre sua fascinante personalidade e o passado de Hogwarts. A versão para o português foi realizada por uma antiga conhecida dos fãs de Harry Potter, a tradutora Lia Wyler.

Nas primeiras páginas do livro, a escritora J. K. Rowling faz uma pequena apresentação dos contos, os quais ela chama de histórias populares para jovens bruxos e bruxas, contadas há gerações aos filhos à hora de dormir. Pouco se sabe do passado de seu autor, apenas que Beedle, o Bardo, teria nascido em Yorkshire no século XV e possuía uma longa barba; mas suas histórias foram passadas de geração em geração e têm ajudado muitos pais bruxos. Não muito diferente dos contos escritos para pequenos trouxas (crianças não bruxas), nas histórias de Beedle a virtude também é premiada e o vício, castigado.

A diferença, como ela explica, está na forma como a magia é retratada. Enquanto nos livros dos trouxas ela está ligada ao comportamento errado, aqui ela está associada aos heróis e às heroínas que são capazes de realizar mágicas para ajudar os outros. Só que ao mesmo tempo bruxos e bruxas descobrem que esta mesma magia pode lhes causar dificuldades e nem sempre é a solução para todos os problemas. Assim como em alguns contos de fadas, as histórias de Beedle podem assustar criancinhas, mas, por outro lado, as inspiram a serem honestas e a usarem seus poderes para o bem, algo que Dumbledore ressalta a todo momento em suas anotações.

A primeira das histórias, “O bruxo e o caldeirão saltitante”, tem como protagonista o filho de um bruxo muito bom que, após a morte do pai, decide não ajudar os outros como o pai o fazia; “A fonte da sorte” mostra a busca de três bruxas e um cavaleiro por uma fonte, cuja água concede boa sorte a todos aqueles que nela se banharem; em seguida, a mais assustadora das narrativas, “O coração peludo do mago”, sobre um velho bruxo incapaz de amar e uma donzela que em muito lembra as donzelas dos contos de fadas trouxas; antes da já conhecida “O conto dos três irmãos”, Rowling apresenta as aventuras da esperta “Babbity, a coelha, e seu toco gargalhante” .

Boa leitura, beijos! ♥

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s